Sefaz recebe estudantes da EJA para discutir sobre Educação Fiscal  

A visita faz parte das atividades do Programa de Educação Fiscal do Maranhão, em parceria com o município de São Luís, na rede de ensino público.


Ensinar e estimular o debate sobre cidadania. Este é o objetivo do Programa de Educação Fiscal que visa promover e institucionalizar a educação fiscal nas escolas públicas de ensino médio, para o exercício da cidadania.

Alunos do 1º e 2º de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e Ensino Regular do Centro de Ensino Médio da comunidade do São Cristóvão (CEM), em São Luís, visitaram, na tarde desta terça-feira (12/6), o prédio da Secretaria de Estado da Fazenda (SEFAZ-MA). A visita faz parte das atividades do Programa de Educação Fiscal do Maranhão, em parceria com o município de São Luís, na rede de ensino público.

Acompanhados do professor de História e Auditor Fiscal do Município, Antônio Macatrão, os líderes estudantis foram recepcionados por Francisco Filho, coordenador do programa Educação Fiscal da SEFAZ no Maranhão. Ele explicou sobre a relevância dos tributos para o investimento dos municípios maranhenses em áreas que atendem a população. Entre os temas abordados: fontes de financiamento do Estado, a função administrativa do Estado, os tipos de tributos e suas finalidades.

Segundo Antônio Macatrão, todas as informações adquiridas pelos visitantes serão repassadas aos demais estudantes da escola. Macatrão destacou a Educação Fiscal como uma ação pedagógica que ajuda o aluno exercer a cidadania de forma consciente, sendo trabalhada em um contexto da transversalidade. 

“O sonho ideal é a institucionalização da Educação Fiscal como disciplina na grade curricular do ensino fundamental e médio da rede pública e privada de ensino. No momento, a realidade é transversalidade, ou seja, trabalhar os diversos tópicos da Educação Fiscal, simultaneamente, com os conteúdos programáticos. Os conceitos de tributos, cidadania, honestidade, sonegação, combate à corrupção têm sido trabalhados por mim na disciplina de História”, assegura. 

Para os estudantes, a escola é o espaço onde se constrói o conhecimento e se aprende sobre cidadania. Todos foram unânimes em dizer que o acesso a estas explicações, com direito a sabatina, sobre Educação Fiscal foi uma experiência valiosa.

 “Saímos daqui conscientes de quem conhecemos os tributos que pagamos, sabemos os direitos que temos. É preciso ter a atitude de que não basta ser eleitor e pagador de impostos. Somos também agentes fiscalizadores dos recursos públicos e devemos tomar conhecimento do seu destino”, defendem. 

Para Antônio Macatrão, Educação Fiscal é uma política de Estado. Portanto, deve ser um tema permanente dentro da escola.

 

Texto: Pedro Sobrinho

Foto: Dâmares Ceribelli